A DOUTRINA DO NATAL


O tema Natal para os cristãos que não o celebram a data é um pouco delicado, já que se trata de uma festa que tradicionalmente celebra o nascimento de Jesus. Esses, que não o celebram, acabam deslocados em cantatas, peças e claro, na cutucada dos pregadores e irmãos contrários. Não queremos aqui trazer juízo para nenhum dos lados, queremos apenas trazer reflexão quanto ao que essa data representou e representa, para que a decisão de cada um, seja pautada pelo conhecimento, fazendo-o para agradar a Deus.


No estudo “O Natal” abordamos em detalhes a história por trás do 25 de dezembro. Aqui, queremos abordar os principais pontos por trás do 25 de dezembro.


Breve resumo do estudo do link:

A palavra “natal” significa nascimento, onde ocorreu o nascimento de alguém.

A data 25 de dezembro era celebrada pelo mundo antes mesmo do nascimento de Jesus, quando os povos celebravam o solstício de inverno, a noite mais longa do ano no hemisfério norte, que acontece no final de dezembro. Dessa madrugada em diante, o sol fica cada vez mais tempo no céu, até o auge do verão, é o ponto de virada das trevas para luz: o “renascimento” do Sol.



Quando essa festa pagã se tornou cristã?


A comemoração do Natal enquanto festa cristã surgiu entre o século II d.C. e IV d.C. A teoria mais aceita é a de que a escolha da data ocorreu porque os cristãos não sabiam exatamente a data do nascimento de Cristo.

Nos escritos de Clemente de Alexandria, fazia-se menção a diversas datas debatidas como a data em que Cristo havia nascido e nenhuma das citadas era 25 de dezembro. O interesse pela data do nascimento de Cristo só ganhou força no “mundo romano” por volta do final do século II d.C. A primeira menção a 25 de dezembro como data do nascimento de Cristo ocorreu em 354 d.C. com a publicação do Cronógrafo de 354, um calendário ilustrado produzido pelo calígrafo Fúrio Filócalo. Essa menção ao nascimento de Cristo em 25 de dezembro por Fúrio Filócalo muito provavelmente foi influenciada por uma decisão de Júlio I, papa da Igreja Católica entre 337 d.C. E 352 d.C. Segundo alguns historiadores, foi durante o pontificado de Júlio I que foi oficializado o dia 25 de dezembro como celebração do Natal, o nascimento de Cristo.



Em algum lugar o natal pagão ainda é celebrado?


Sim, os países Islâmicos, países que adotam o budismo como religião, caso de vários países da Ásia, povos Hindus e Israel.

Na China, eles ainda celebram a data antiga para o símbolo do yin-yang, que representa a harmonia da natureza.


O que dizem os cristãos que celebram o natal?

A data não importa, o que importa é que Jesus nasceu e por isso eles celebram o 25 de dezembro como nascimento de Jesus, mesmo sabendo que Jesus não nasceu nesta data, mas celebram que o menino Jesus nasceu.


"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." Isaías 9:6



Mas não seria a Ceia do Senhor o momento de celebrarmos Jesus Cristo?


“E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós.Lucas 22:19,20


Os reformadores e o natal


A história mostra que a igreja romana herdou muita coisa dos imperadores, como o latim, a arquitetura grandiosa, a estatuária, a pintura mural... Para Lutero, o cristianismo foi uma notável revolução dos cordeiros, da gente humilde da antiguidade que se insurgira contra as injustiças do mundo pagão que a Igreja de Roma professava, porém, segundo a história, Lutero causou grande confusão quando decidiu ter uma árvore de natal em sua casa.


O fato é que não existe nada claro, além de especulações sobre os reformadores e o natal.



Por que essa discussão persiste?


Resumo numa única palavra. RESPEITO.

Sem dúvida o movimento pró natal é muito maior. Todas as igrejas tradicionais aderiram a tradição, mesmo que muitas delas não tenham sido sempre assim, mas agora celebram o natal, é parte da cultura cristã e a maioria (para não dizer todos) os líderes das igrejas professam em sua confissão de fé reformada a celebração pelo natal.


Os que não celebram o natal, se baseiam no fato de não haver respaldo, se não cultural, para tal celebração.

Em 1644, os Puritanos ingleses decidiram abolir o Natal, devido ao estilo de celebração mundana e o fato de não terem justificativa bíblica para tal. A falta de respeito vem quando elevamos esses irmãos a outro nível de maturidade cristã no que tange ao pensamento que me agrada, e repúdio como idólatra quando o pensamento é contrário ao meu.



O que a Bíblia diz sobre o Natal ou a celebração do nascimento de Jesus?


Absolutamente nada!

João foi o último dos 12 a morrer, ele morreu no ano 103 d.c e em suas cartas, o apóstolo não mencionou, instruiu ou celebrou o nascimento de Jesus. Será que João não amava tanto assim o Mestre? Não ensinou ninguém a celebrar o nascimento de Jesus.

O povo de Israel era exortado pelo Senhor a não se contaminar com a cultura dos povos pagãos, para que não se corrompessem.


Dois fatos são importantes:

1) A festa celebrada em 25 de dezembro tem origem pagã. Ela é celebrada assim hoje? Seguramente sim, ou vemos as pessoas reunidas no dia 25 para dar graças ao Pai pelo nascimento de Jesus? Qual diferença é vista do natal para o carnaval?

2) Não há qualquer menção bíblica sobre a celebração do nascimento de Jesus. Nos alegramos por que Deus se fez homem e veio ao mundo? SIM, sem a menor dúvida, mas Jesus não "nasceu" como nós, ele já era antes que tudo houvesse.



Natal e o evangelismo.


Podemos e devemos aproveitar a oportunidade do natal e falar para não crentes sobre o Jesus que está vivo, sobre o Deus que pisou no mundo, se fez carne, derrotou a morte e trouxe salvação a todos, mas não podemos nem devemos obrigar que ninguém cultue ou festeje uma data não instituída pela Palavra de Deus, nem mesmo que essa data seja ensinada como doutrina nas igrejas cristãs.


Se você costuma ouvir afirmações e zombarias quanto ao seu amor a Deus por não celebrar o Natal, que é sim uma festa com origem pagã, bem-vindo, se firme no Senhor e se coloque diante Dele para que ele possa te trazer a paz que você precisa.


Se você é o que zomba dos que não celebram o natal, o chamam de hereges, se lembre que a fé dos protestantes, é baseada na Palavra de Deus, e se não está escrito, não faça do costume uma doutrina.

Glória somente a Deus | Somente a fé | Somente a graça | Somente Cristo | Somente as escrituras


"Lembre-se, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus." 1 Coríntios 10:31


“Não quero que se recorra para defender o evangelho às armas e à carnificina. Foi pela palavra que o mundo foi vencido; foi pela palavra que a igreja foi salva; será também pala palavra que ela há de ser restabelecida.” - Martim Lutero, 1520.

50 visualizações
SEJA BEM-VINDO (A)!

Somos cristãos, evangélicos, protestantes, o 'povo da Bíblia', então é claro que aqui você terá uma visão doutrinária de acordo com esse direcionamento. Este blog nasceu com o objetivo de abordar assuntos atuais diversos.

Sejamos edificados!

DESTAQUES
CATEGORIAS
INSCREVA-SE

Sobre nós

Somos evangélicos, ou protestantes, ou o povo da cruz, ou o povo da Bíblia, mas acima de tudo, somos cristãos. O blog "A Luz do Evangelho" nasceu...

No que cremos

1. Deus: Cremos em um só Deus, que se manifesta em três pessoas igualmente divinas: Pai, Filho e Espírito Santo...

Nas redes

  • YouTube
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

© 2020