© 2019

  • YouTube
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

Sobre nós

No que cremos

Somos evangélicos, ou protestantes, ou o povo da cruz, ou o povo da Bíblia, mas acima de tudo, somos cristãos. O blog "A Luz do Evangelho" nasceu...

1. Deus: Cremos em um só Deus, que se manifesta em três pessoas igualmente divinas: Pai, Filho e Espírito Santo...

Nas redes

GIGANTES

11.01.2017

Nos textos iniciais de Gênesis, após a criação do homem, podemos ver através de Caim e Abel, duas linhagens distintas se formando, uma que adora ao único Deus vivo e outra que se rebela. Após o assassinato de Abel por Caim, Adão gerou outros filhos e filhas, mas o culto ao Senhor só foi restituído na descendência de Sete. Daí em diante as duas linhagens seguem caminhos opostos, a de Sete como a linhagem santa e a de Caim como a linhagem ímpia (os primeiros a cometer assassinatos, bigamia, etc.). Com a multiplicação da raça humana acontece uma mistura, entre os "filhos de Deus" e as "filhas dos homens", que resulta em uma geração de "nefilins", os "valentes famosos da antiquidade". Mas quem são os "nefilins"? E quem são os "filhos de Deus" citados no texto?

 

Nefilim (do hebraico:. נְפִילִים) é um termo derivado de "naphal" e seria melhor traduzido por "ele caiu". Esse termo ocorre somente duas vezes na Bíblia, em Gênesis 6:4 e Números 13:33. A Septuaginta traduziu o termo por uma palavra grega que significa "nascido da terra", as traduções seguintes mudaram o termo para "gigantes", e Lutero traduziu o termo como "tiranos". O fato é que traduzir "nefilim" por "gigante" é um erro, pois como podemos ver, a tradução mais correta seria algo como "homens caídos", homens corrompidos.

 

De fato a corrupção humana foi tão grande, que Deus decide trazer o dilúvio à Terra e ao procurar um justo para restaurar a verdadeira religião perdida, só encontrou Noé, indicando claramente que a linhagem santa de Sete havia se perdido, se misturado e abandonado ao Senhor. Algo muito comum na história de Israel, quando havia mistura o resultado era sempre sincretismo seguido de apostasia.

 

Mas a Bíblia usa outros termos para se referir aos gigantes: anaquins (Josué 11:22; 14:15), emins (Deuteronômio 2:10,11), zamzumins (Deuteronômio 2:20), entre outros. Sim, de fato os gigantes existiram!

 

 

 

Gigantes pelo mundo antigo

 

É possível encontrar relatos de gigantes em quase todas as culturas e lendas dos principais povos da antiguidade: sumérios, astecas, maias, egípcios, gregos, hindus...

 

Muitas construções da antiguidade despertam a curiosidade do homem moderno até os dias de hoje, feitas de pedras gigantescas perfeitamente trabalhadas e empilhadas, que chegavam a pesar toneladas, como as pirâmides espalhadas por todo o mundo, das quais as mais famosas estão no Egito, o Stonehenge do Reino Unido, as famosas estátuas da Ilha de Páscoa, e tantos outros.

 

Tudo isso poderia ser considerado prova arqueológica, mas parte da comunidade científica ainda é relutante. Eles afirma sem medo que no passado (segundo eles, milhõs de anos atrás) existiram animais gigantes sobre a face da Terra, mas uma geração de homens gigantes não é visto com bons olhos, salvo um exemplar ou outro, considerado sempre como "anormal". A comunidade científica alega não haver provas suficientes para fazer essa afirmação, mas será mesmo?

 

 

1) Rio Paluxy, Texas EUA

 

As imagens, mostram uma descoberta arqueológica extremamente importante, que poucos sabem que aconteceu. No leito do Rio Paluxy, perto do Glen Rose, Texas EUA, o paleontologista Dr. C.N. Dougherty descobriu impressões distintas e perfeitamente conservadas de patas de dinossauros e pés humanos gigantes (54 cm), na mesma camada geológica, uma bem ao lado da outra, como se ambos tivessem passado quase que juntos por ali. O problema é que de acordo com a TEORIA evolucionista de Darwin, que combate frontalmente o relato bíblico da criação, homem e dinossauro viveram em períodos diferentes, mas essas pegadas não são as únicas.

 

2) Mount Vernon, Estados Unidos:

Em 1938, o geologista Wilbor G. Burroughs, anunciou ter descoberto dez pegadas humanas perfeitas, com cinco dedos semelhantes aos pés humanos atuais. Elas mediam 23,73x10,25 cm e foram encontradas ao norte de Mount Vernon, nos Estados Unidos. Pegadas semelhantes foram descobertas em Jackson County, Pensilvânia e Missouri, todos nos Estados Unidos.

 

3) Mount Victória, Estados Unidos:

Em Mount Victória, também nos Estados Unidos, foram descobertas pegadas humanas gigantes medindo 59 x 18 cm, indicando um peso de 250 kg.

 

4) Antelope Springs, Delta, Utah, Estados Unidos:

Em 3 de junho de 1968, William Meister e Francis Shape descobriram pegadas calçadas em Antelope Springs, próximo a Delta, no estado de Utah, (EUA). Elas mediam 32,5 x 11,25 cm. O interessante destas pegadas é que elas esmagaram um trilobite, no momento em que foram impressas, sendo que o trilobite está extinto a tanto tempo que é conhecidos apenas por registro fóssil.

 

5) Carlson, Estados Unidos:

Em 1882, prisioneiros da cadeia da cidade de Carson descobriram acidentalmente pegadas fossilizadas, com aproximadamente 55,88 centímetros cada uma. Logo surgiram outras descobertas no mesmo local. Todas as marcas identificadas eram de pés calçados.

 

6) Nevada, EUA:

Em 1924, pesquisadores descobriram restos mortais de seres gigantes de cabelos vermelhos na caverna Lovelock, mais de 60 esqueletos foram retirados de lá, juntamente com diversos artefatos e duas múmias. Muitos desses artefatos podem ser vistos no museu de história natural localizado em Winnemucca, Nevada, os esqueletos gigantes, porém estão longe de serem vistos. As lendas indígenas falam sobre esses gigantes de cabelos vermelhos.

 

 

 

7) A múmia de San Diego, EUA:

Em 1895 foi descoberto uma múmia gigante em San Diego. Treze anos mais tarde - em 1908 - quando a múmia estava sendo exibida, o Smithsonian (um museu em Washington, D.C., Estados Unidos, que "guarda" a maior parte desses esqueletos gigantes já descobertos) executou alguns testes e de repente o descartou como sendo um engano. Curiosamente, Ales Hrdlicka, ingressou no Smithsonian em 1903 e não estava interessado em gigantes. Fez um esforço concentrado para erradicá-los do histórico. Um gigante mumificado semelhante também apareceu em Spiro Mounds, Oklahoma e foi exibido por alguns meses, onde foi visto por várias pessoas antes de desaparecer.

 

É importante ressaltar que o Instituto Smithsonian (Museu Nacional de História Natural americano) admitiu ter destruído milhares de evidências arqueológicas e restos mortais que provavam a existência de gigantes por toda a América. Com o objetivo de proteger a cronologia da evolução, financiados por "administradores de alto nível". Um processo judicial foi aberto e a prova de que o Instituto estava realmente envolvido foi um fêmur gigante descoberto em Ohio, EUA e roubado do museu por um de seus "administradores de alto nível" que escreveu uma carta em seu leito de morte assumindo que eles estavam escondendo do mundo a existência dos gigantes descritos na Bíblia.

 

 

 

8) Outros casos pelo mundo:

 

Em uma gruta chamada Atyueca, na antiga União Soviética foram encontrados esqueletos de homens que tinham de 2,80 a 3 metros de altura, eles tinham seis dedos em cada membro. Existem diversos outros achados cientificamente aparados, apesar de pouco divulgados, como o gigante de Java, no sul da China, Chenini (Tunísia), Transvaal (África do Sul), Gargayan (Filipinas). Em Bradford County (Pensilvânia) em 1880 foram encontrados, em um túmulo, esqueletos humanos cujos crânios tinham chifres. Alguns desses ossos teriam sido enviados para o Museu de Investigação americano na Filadélfia, onde teriam desaparecido.


No final dos anos 50 durante a construção de uma estrada no sudeste da Turquia, em Homs e Uran-Zohra no Vale do Eufrates, região próxima de onde viveu Noé após o dilúvio, foram encontradas várias tumbas de gigantes. Elas tinham 4 metros de comprimento, e dentro de duas estavam ossos da coxa (fêmur humano) medindo cerca de 120 centímetros de comprimento. Calcula-se que esse humano tinha uma altura de aproximadamente 4 metros e pés de 53 centímetros.


Um dedo de 40 cm foi encontrado no Egito. Há relatos de que o achado é da década de 60. Foram feitos exames de raio-X para confirmar a autenticidade, e o resultado foi positivo. Segundo especialistas e matemáticos, o dono do dedo teria nada menos que 6,3 metros de altura.

 

O fato é que sobre os cinco continentes já foram encontrados diversos vestígios arqueológicos que confirmam a existência desses gigantes, juntamente com os dinossauros e diversos outros animais gigantes ou não, mas ainda sim a comunidade científica é relutante, pois a existência dos gigantes bíblicos, principalmente em conjunto com os dinossauros, fere diretamente a cronologia da evolução e prova diretamente os relatos bíblicos. Existe uma falsa ciência tentando enganar você.

 

Pegadas de gigantes pelo mundo:

 

 

A mitologia criada em torno dos gigantes bíblicos

 

Há uma outra linha de interpretação do texto de Gênesis, muito aceita inclusive no meio protestante, que afirma que os nefilins eram gigantes, que surgiram a partir do cruzamento sobrenatural de anjos caídos com mulheres. Para os defensores dessa teoria, os "filhos de Deus" eram anjos caídos e as "filhas dos homens" eram simplesmente mulheres. Eles se baseiam no texto de Gênesis 6:4 e principalmente no livro APÓCRIFO de Enoque (Judas 1:14; Hebreus 11:5). Ainda de acordo com o livro apócrifo de Enoque, esses anjos caídos seriam os responsáveis por ensinar aos homens antigos o ocultismo (encantamentos, adivinhações, astronomia, sinais, etc.), a arte da guerra, entre muitos outros ensinos, considerados a frente de seu tempo, e estes anjos teriam sido aprisionados no período do dilúvio.

 

Essa interpretação é muito parecida com algumas lendas pagãs da antiguidade, onde as divindades procriavam com humanos, criando semi-deuses. É possível encontrar lendas assim em diversas mitologias:  suméria, grega, nórdica, vikings, etc. A ufologia (uma falsa ciência da Nova Era) também defende essa teoria, dizendo que esses anjos caídos eram na verdade extraterrestres. Mas essa linha de interpretação não faz sentido algum se tomarmos somente a Bíblia como base. Que é o correto a se fazer! Vejamos:

 

  • A expressão "filhos de Deus" (letra minúscula e plural), no Antigo Testamento, identifica os anjos, NÃO OS CAÍDOS, (Jó 1:6; 2:1; 38:7), e no Novo Testamento, identifica os salvos em Cristo (Romanos 8:14; 1 João 3:10), já “Filho de Deus” (letra maiúscula e singular), identifica Cristo (Daniel 3:25; Efésios 4:13; 1 João 5:10; Lucas 4:3...). De maneira geral o termo descreve os que pertencem ao Senhor, os santos, não os rebeldes;

  • 1 Coríntios 15:40 deixa claro que corpos terrestres (carne) e copos celestes (espíritos) são diferentes;

  • Lucas 20:34-36 mostra que os anjos não são iguais aos homens, que se casam, se não se casam, não praticam o ato sexual e não se reproduzem;

  • Mateus 12:43-45 nos mostra que os demônios (anjos caídos) costumam possuir corpos físicos, uma vez que seus corpos são espirituais;

  • 1 Coríntios 10:20 mostra que o culto aos ídolos na verdade é um culto aos demônios, e estes é que ensinam aos homens os caminhos ocultos (2 Coríntios 11:14);

 

Abra os seus olhos! A Bíblia é a única verdade.

 

 

Fontes:

https://www.youtube.com/watch?v=dRuxw-nZoJw

http://www.taringa.net/post/info/19326877/La-verdad-sobre-el-misterio-de-los-esqueletos-gigantes.html

https://noticiasbiblia.wordpress.com/2016/02/10/nefilins-os-gigantes-da-biblia-2/

https://pt.slideshare.net/MARINS2015/livro-de-enoque-46274235

http://www.fenomenum.com.br/ufo/historico/pegadas

http://www.semprequestione.com/2015/07/gigantes-de-6-e-8-metros-sao.html

Please reload

ESTUDOS RECENTES

March 14, 2019