© 2019

  • YouTube
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

Sobre nós

No que cremos

Somos evangélicos, ou protestantes, ou o povo da cruz, ou o povo da Bíblia, mas acima de tudo, somos cristãos. O blog "A Luz do Evangelho" nasceu...

1. Deus: Cremos em um só Deus, que se manifesta em três pessoas igualmente divinas: Pai, Filho e Espírito Santo...

Nas redes

OS PAIS DA IGREJA

31.08.2017

Há muita ignorância no meio protestante quanto a estes personagens da história da igreja devido a divergências existentes entre catolicismo romano e protestantismo, mas o fato é que muitos deles são de grande importância para nós sim. É muito comum no meio protestante (infelizmente) ouvirmos que a história da igreja não importa, e por isso perdemos a oportunidade de conhecermos quantas maravilhas Deus fez através da vida de nossos irmãos e irmãs no passado, como a igreja foi se desenhando após o período apostólico até o que conhecemos hoje.

 

Você precisa conhecer a Palavra, e também precisa conhecer a história da igreja, observar como com o passar dos séculos a semente do Evangelho foi sendo plantada e recebida pelos diversos povos alcançados e suas culturas, o surgimento e o combate as primeiras heresias, as perseguições, os grandes exemplos deixados, os concílios e a moldura das doutrinas que formal hoje a espinha dorsal da igreja romana x protestante.

 

"Esse conhecimento deve ser um leme para nos guiar e não uma âncora para nos paralisar" - Erwin W. Lutzer, Moody Church

 

 

Por que o nome "pais da igreja"?

 

Os "pais da igreja" foram a geração de crentes que surgiram após a era apostólica. O termo "pais" é geralmente usado em referência a alguém mais velho, mais experiente, mais sábio, é neste sentido que o termo "pais da igreja" surge. Foi aravés destes homens e mulheres que as principais doutrinas cristãs existentes hoje se moldaram, eles foram os primeiros teólogos e apologistas cristãos, e comumente eram: antigos, ortodoxos na doutrina, santo no viver e aprovados por outros cristãos. Sobre eles Vicente de Lérins escreveu:

 

"Portanto, tudo o que foi semeado pela fidelidade dos pais na lavoura da igreja de Deus deve ser cultivado e cuidado pela diligência dos filhos deles e deve florescer e amadurecer, avançar e progredir rumo à perfeição. Pois é correto que, com o passar do tempo, as antigas doutrinas da filosofia celeste sejam consideradas aprimoradas e refinadas; mas que não sejam alteradas, não sejam desfiguradas, não sejam adulteradas."

 

 

Principais erros cometidos no meio protestante quanto aos pais da igreja:

 

1) Os pais da igreja não eram bíblicos:

É preciso entender que estes homens eram sim suscetíveis ao erro, assim como eu e você, a final somente a Palavra de Deus é inerrante, mas isso não quer dizer que tudo o que eles escreveram esteja errado e não nos sirva para nada. De fato, para a maioria deles, seguir a "tradição" era seguir uma perspectiva romana ainda em construção, mas o amor destes homens pela Palavra fica evidente em seus escritos, vida e morte, tanto que muitos acabaram presos, torturados, martirizados ou exilados por sua fidelidade a Cristo e sua Palavra..

 

2) Os pais da igreja eram católicos romanos:

É preciso entender que o conceito atual de "catolicismo romano" não é o mesmo daquela época, mais uma vez por pura ignorância. O termo "católico" vem do grego katholikos que significa "pertence ao todo" ou "universal", se referia (e ainda se refere) a uma comunidade unificada formada por todos os crentes do mundo, leais a Cristo, de doutrina ortodoxa, de fé idêntica ao proclamado pelos apóstolos. Já o termo "católico romano", como o nome já diz, surge posteriormente para definir a religião romana cristã, que surge aos poucos paralela a igreja de Cristo (Mateus 13:24-30), porém com novas doutrinas e tradições (como a tradição da igreja ter a mesma autoridade que a Bíblia, o papado, o purgatório, as indulgências, a adição de livros apócrifos na Bíblia, o culto aos santos, a mariolatria...). Ela se oficializa com a "conversão" de Constantino no século quatro, mas surge bem antes disso.

 

Então entenda: O termo "católico" não é uma abreviação para "católico romano", mas tem um sentido muito mais antigo e amplo. Ser católico é simplesmente ser parte do Corpo de Cristo mundial e é nesse sentido que os pais da igreja seguiam.

 

3) Os pais da igreja representam a "queda" do cristianismo:

Basicamente é como se os protestantes de hoje dissessem: "A era apostólica foi "boa", durante um ou dois séculos a igreja foi "pura", mas as gerações posteriores perverteram a verdade, e somente com o surgimento dos reformadores tudo voltou a ser como antes."

Assim temos que saltar séculos e séculos de história, perdendo os períodos mais difíceis e exemplares da igreja lutando contra o mundo.

 

 Essa visão se deve principalmente a "conversão" de Constantino no século quatro. De fato a igreja foi enfraquecida pelas multidões que aderiram apenas nominalmente ao cristianismo, sem se converterem verdadeiramente a Cristo, juntamente com todas as heresias que foram sendo adotadas ou "cristianizadas", mas em todo o tempo Deus levantava homens sedentos por uma volta as origens da fé e por isso esses homens deram a vida.

 

Precisamos combater o bom combate da mesma maneira que fizeram os que vieram antes de nós. Só faremos isso conhecendo a Palavra, antes de mais nada, e a história. Talvez por essa falta de conhecimento é que nós evangélicos somos tidos pela maior parte da sociedade como ignorantes, pois a maior parte de nós não conhece a Palavra, que é a base da nossa fé, e muito menos a história da igreja.

 

Não seja um crente decadente, ignorante e espiritualmente fraco que vive atrás de vitória, unção, poder... É por essa maioria decadente que hoje, apenas 500 depois da Reforma, já necessitamos reformar tudo novamente.

 

 

 

Breve resumo de alguns pais da igreja

 

1) Inácio de Antioquia:

Bispo de Antioquia, cidade de grande importância no período apostólico, teve dois grandes adversários: o legalismo judaico e o gnosticismo. Não sabemos por que Inácio foi condenado, mas naqueles dias portar o nome de Cristo já era razão suficiente. Inácio foi levado à Roma como prisioneiro junto com as feras as quais seria entregue a morte. Morreu como mártir por sua fé em Cristo, despedaçado por bestas-feras, como espetáculo às massas romanas.

 

"Não quero vos dar trabalho de, depois de eu morrer, terdes de recolher meus restos mortais. Só então serei um discípulo de Jesus Cristo no sentido mais pleno: quando o mundo não mais puder ver meu corpo físico. Por isso, orai ao Senhor por mim" Rogai que por meio desses animais eu me torne um sacrifício para Deus. Oro mesmo que elas me devorem com toda rapidez, Aliás, eu as acariciarei para que venham me comer de imediato." - Inácio de Antioquia.

 

2) Justino Mártir:

O primeiro filósofo cristão da história da igreja. Antes de sua conversão passou por várias escolas de pensamento: teve um mestre de filosofia estoica, depois um seguidor de Aristóteles, depois tentou um mestre pitagórico, por fim um metre platônico, tudo isso tentando encontrar Deus. Um belo dia, à beira-mar saiu para refletir e foi encontrado por um idoso que o questionou: "Será que, em algum momento, dia a mente humana contempla Deus, se não for instruída pelo Espírito Santo?" E o guiou às Escrituras. Justino criou embates ousados e até perigosos, até que acabou condenado a ser açoitado e decapitado.

 

"Nós, que antigamente tingamos prazer em fornicação, agora abraçamos somente a castidade; nós, que antigamente usávamos a magia, agora nos dedicamos ao bem e ao Deus incriado; nós, que valorizávamos acima de tudo a aquisição de riquezas e bens, agora depositamos em uma bolsa comum o que temos, dando a todos os que estão em necessidade; nós, que odiávamos e nos destruíamos e - por causa de diferentes costumes - não vivíamos como pessoas de etnia diferente, agora, desde a vinda de Cristo, vivemos em família com elas, oramos por nossos inimigos e empenhamo-nos em persuadir os que nos odeiam injustamente a viver de conformidade com os bons preceitos de Cristo." - Justino Mártir.

 

3) Ireneu de Lião:

Bispo de Lião, defendeu um Jesus ortodoxo, Filho de Deus que veio em carne para salvar a humanidade do pecado de Adão. Foi um dos responsáveis pelo desenvolvimento da identidade cristã: 1- Uma igreja católica cujos líderes baseavam sua autoridade nos ensinamentos das mesmas doutrinas dos apóstolos;2- Uma igreja católica cuja Bíblia é composta de dois Testamentos, escritos por profetas e apóstolos; 3- Uma igreja católica cuja Bíblia é interpretada à luz da pregação resumida nos primeiros credos, em vez de por narrativas fantasiosas e mitologia cósmica. Lembrando que o gnosticismo era intenso nesse período! A tradição afirma que ele morreu como mártir, mas não há provas seguras desse fato.

 

"Pois, embora os idiomas do mundo sejam diferentes, o significado de nossa tradição é exatamente igual. Assim como o sol, que foi criado por Deus, é exatamente igual em todo o mundo, da mesma forma a luz que é a pregação da verdade cristã brilha em toda a parte e ilumina a todos os que desejam alcançar o conhecimento da verdade." - Ireneu de Lião.

 

4) Tertuliano:

Mestre de língua latina, o primeiro a usar latim em vez do grego, dizem que era filho de um centurião romano. De personalidade forte, atirava panfletos eloquentes nos hereges como se fossem balas de seu revólver. Sua obra mais notável é "Contra Marcião" [um herege], considerada um dos primeiros comentários bíblicos cristãos, em cinco volumes. Foi o primeiro autor que se tem conhecimento a usar o termo "Trindade".

 

"A igreja conhece um só Senhor Deus, o Criador do universo; Jesus Cristo, nascido da Virgem Maria, o Filho do Deus Criador e a ressurreição da carne. A igreja une harmoniosamente  a Lei e os Profetas com os escritos dos evangelistas e apóstolos. Dessa fonte bebe a fé verdadeira. A igreja não aceita ninguém que se opõe a este ensinamento. Mas, quanto a vós hereges, os apóstolos sem dúvida vos deserdaram para sempre e vos repudiaram como estranhos e inimigos!" - Tertuliano.

 

5) Perpétua:

Não se sabe muito sobre a vida de Perpétua, mas o pouco que sabemos já nos deixa impressionados. Ela é apresentada como uma típica filha romana, posta em prisão domiciliar por sua fé cristã, com dois escravos Revocato e Felicidade, cujo pai tentava a todo custo fazer negar sua fé e ser liberta. Ela e seus amigos foram lançados na prisão, e assim Perpétua foi separada de seu bebê que ainda mamava, e Felicidade, sua escrava, estava grávida. Temendo ir ao martírio sem seus companheiros por estar gestante, todos começaram a orar e Felicidade entrou em trabalho de parto, assim todos foram ao martírio juntos, lançados as feras e por fim, os que sobraram, foram decapitados, incluindo Perpétua.

 

"Como havia sido o primeiro a subir [a escada no sonho de Perpétua], da mesma forma foi o primeiro a entregar o espírito. Novamente, ele estava esperando Perpétua.  Mas Perpétua ainda tinha de experimentar um pouco de dor. O carrasco, que era um principiante, acidentalmente a perfurou entre as clavículas, levando-a a gritar de dor. Então ela própria guiou a mão errante do carrasco até sua garganta. Era como se uma mulher tão extraordinária, que era temida pelo espírito demoníaco presente no carrasco, só pudesse ser morta se ela mesma concordasse." - Ante Nicene fathers, volume 3.

 

6) Orígenes:

Um intelectual alexandrino, nascido no mesmo período de Perpétua, tinha 17 anos quando a mesma perseguição que culminou no martírio de Perpétua chegou a sua cidade e seu também martirizou seu pai. Alcançou algo inédito para um teólogo cristão, o respeito até mesmo dos filósofos seculares de Alexandria. Usava uma metodologia alegórica de interpretação das Escrituras muito criticada nos dias de hoje, e é bem verdade que acabou por expressar ideias teológicas heréticas e cometer algumas tolices. Acabou preso no período do imperador Décio, sofrendo terríveis torturas na masmorra, que acabaram o levando a morte. Por isso foi apelidado de "adamantius", ou seja, "feito de aço".

Devido a tantas controvérsias, Orígenes (e Tertuliano) não foram considerados dignos de receberem o título de "santos".

 

"...Nesta presente passagem [de Cânticos dos Cânticos], que descreve o comportamento e a conversa de pessoas que se amam, penso que é apropriado que a mesma sede íntima do coração seja descrita como "peito". Por conseguinte, o peito do Noivo é bom porque nele "estão ocultos os tesouros de sabedoria e do conhecimento". E, por esse motivo, não creio ser incorreto referir-se ao lugar de seus santos ensinamentos como "o peito de Cristo"."  - O Comentário sobre Cântico dos Cânticos.

 

7) Atanásio:

Os antigos cristãos o descrevem como um solitário soldado da resistência que permaneceu firme enquanto as águas da heresia se enfureciam ao seu redor. Foi exilado cinco vezes por três imperadores diferentes, passando 17 anos assim. Pode se dizer que se não fosse por seus esforços, uma ideia herética da Trindade conhecida como arianismo teria prevalecido.

 

"A morte estava nos dominando cada vez mais. A corrupção permanecia em toda a humanidade. Portanto, a raça humana caminhava para a destruição. O homem, que era racional e criado à imagem de Deus, estava desaparecendo. Era simplesmente impossível que Deus permitisse que a raça humana se perdesse na corrupção. Tal coisa seria imprópria e indigna da bondade de Deus..." - A encarnação do Verbo.

 

8) João Crisóstomo:

Bispo de Constantinopla, filho de uma viúva cristã devota com grande patrimônio em Antioquia, teve uma bela formação e foi nomeado leitor das Escrituras na sua igreja. Peregrinou por anos no deserto lutando contra a tentação sexual, chegou a morar em uma caverna, no alto de uma montanha, mas este estilo de vida extremo acabou lhe causando danos físicos permanetes. Voltou e foi nomeado diácono, depois presbítero, se tornou um pregador de destaque e acabou nomeado bispo da capital oriental do Império Romao, Constantinopla, onde sua luta realmente começou. Uma rede perversa de intrigas políticas imperiais e eclesiásticas se formava contra João, que denunciou, em público, a corrupção e a sensualidade que via na corte imperial. João foi banido de sua igreja e exilado, morrendo só.

 

"Se és cristão, não tens uma cidade na terra. O próprio Deus é "arquiteto e construtor" de nossa cidade (Hb 11.10). Mesmo que possuíssemos o mundo inteiro, ainda assim seríamos "estrangeiros e peregrinos" em toda terra (Hb 11.13). Nossos nomes estão gravados no céu. Nossa cidadania está lá. Por isso, não sejamos como criancinhas, que ignoram o que é verdadeiramente grande e admiram o que não tem valor." - Homilia sobre as estátuas.

 

9) Agostinho:

Nascido em uma cidadezinha africana romana, em uma família de poucos recursos, quando adolescente não queria nada com Cristo e se atirou de cabeça nos pecados sexuais. Buscou a filosofia maniqueísta, mas não permaneceu lá por muito tempo, chegando a orador oficial na corte imperial. Em sua luta entre carne e espírito, se sentia dividido, até que ouviu uma criança lhe dizer: "Toma e lê!". Abriu Romanos 13:13,14 e finalmente encontrou descanso.

 

"Futilidades vazias, "vaidades de vaidades", meus amores de longa data - essas coisas me seguravam. Elas puxavam o manto da minha carne e sussuravam suavemente: "Estás nos mandando embora? Não ficaremos mais contigo? Nunca mais? De agora em diante, tais e tais coisas serão proibidas para ti para todo o sempre?". Contudo, então ouvi aquelas vozes como cochichos bem baixinhos. Não me enfrentaram audaciosamente. É como se estivesem murmurando por trás de minhas costas. Finalmente o calor daquelas vozes começou a esfriar. Por que tentas permanecer em tua própria força, apenas para te veres escorregando? Lança-te sobre ele! Não tenhas medo. Ele não recuará nem permitirá qiue caias. Salta com confiança. Ele te apanhará e te curará." - Confissões

 

10) Cirilo de Alexandria:

Sobrinho de Teófilo (que apresentou denúncias falsas contra João Crisóstomo), formado em excelentes escolas de Alexandria, leitor na igreja, talento para teologia, devoção por Cristo, apesar de cedo ter sido exposto a política eclesiástica, herdou a política sórdida e as manobras dissimuladas da igreja, assim como a tradição intelectual e a teológica daquela cidade. Enviou uma carta ao bispo de Roma (Leão Magno), que mais tarde viria a ser "o primeiro papa", reclamando de Nestório e seus ensinos. O mundo antigo estava terminando e o medieval prestes a começar.

 

"O primeiro homem pecou. Caiu em desobediência e ignorou o mandamento que havia recebido. Foi seduzido e levado à impiedade pelo artifício da serpente. Assim, de maneira totalmente justa, foi arrastado para ruína e submetido ao castigo. Mas tu [ó Pai] me estabeleceste como uma muda para ser um segundo começo para todos na terra. É por isso que recebi o título de "o segundo Adão" (1Co 15:45-47). Em mim tu vês a natureza do homem purificada, tornada impecável, santificada e pura. Eu venci o próprio Satanás, que costumava reinar desde há muito tempo. Pois em mim ele não encontrou absolutamente nada que lhe pertencesse." - Sobre a unicidade de Cristo.

 

 

Lembre-se sempre: A Bíblia é a nossa regra de fé e prática. Todos os escritos posteriores precisam estar em concordância com ela, sejam dos pais da igreja, sejam do seu pastor, sejam de quem for, mas em um tempo como o nosso, marcado pela apostasia, precisamos aprender com o exemplo dos antigos apóstolos, com os pais da igreja, com nossos irmãos, que a defesa da santíssima fé é mais preciosa que a própria vida.

 

Os pais da igreja fizeram parte da jornada que você e eu realizamos hoje.

 

Fonte: "Conhecendo os pais da igreja" de BRYAN M. LITFIN, Editora Vida Nova.

Please reload

ESTUDOS RECENTES

March 14, 2019

July 3, 2018

Please reload

DESTAQUES

A "IGREJA" MODERNA E SEU FALSO "EVANGELHO"

21.09.2017

1/10
Please reload

CATEGORIAS
Please reload

ARQUIVOS
Please reload

INSCREVA-SE