© 2019

  • YouTube
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

Sobre nós

No que cremos

Somos evangélicos, ou protestantes, ou o povo da cruz, ou o povo da Bíblia, mas acima de tudo, somos cristãos. O blog "A Luz do Evangelho" nasceu...

1. Deus: Cremos em um só Deus, que se manifesta em três pessoas igualmente divinas: Pai, Filho e Espírito Santo...

Nas redes

ADVENTISTAS DO SÉTIMO DIA

17.07.2016

Muitos em nossos dias acham que a igreja Adventista do Sétimo Dia é apenas mais uma denominação protestante e não entendem que na verdade se trata de uma seita que nasce a partir de uma denominação protestante, mas se expande e segue novos rumos. Este estudo visa esclarecer os pontos que caracterizam a igreja Adventista do Sétimo Dia como uma seita. Não temos a intenção de descriminar, mas de informar.

 

Tudo começa com um homem chamado Guilherme Miller, um americano, fazendeiro que tornou-se maçom, ocupando o cargo de grão-mestre na Loja Morning Star, No. 27.

 

No livro "As memórias de William Miller", escrito por Sylvester Bliss, páginas 21 e 22, diz: “Foi aqui que o Sr. Miller tornou-se um membro da Fraternidade Maçônica, em que a sua perseverança, mais se manifestou: para que avançasse para o nível mais elevado que as lojas do município ou na região, pudessem conferir”.

 

Entretanto Miller teria renunciado a sua afiliação a maçonaria e passado a frequentar uma igreja batista, onde teria conseguido uma espécie de "permissão para pregar".

 

Miller criou uma teoria baseada em Daniel 8:13,14, onde segundo ele, 2.300 tardes e manhãs seriam 2.300 anos, somou esse número ao ano 457 a.C. e encontrou o ano 1843. Passou a ensinar que Cristo retornaria nesse ano, e essa passou a ser a base da sua pregação, o "advento" de Cristo. Assim, acabou sendo expulso de sua igreja local, pois sua pregação caracterizava heresia, e passou a divulgar suas teorias, iniciando o movimento conhecido hoje como "adventismo", mas que naquele período foi chamado de "millerismo".

 

"Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai." Mateus 24:36

 

Infelizmente para Miller, o ano de 1843 passou e Jesus não voltou, então a data foi remarcada para 22 de outubro de 1844 sob a alegação de erro de cálculo, mas Jesus não voltou novamente. Frustrado, Miller precisou fugir de uma multidão em fúria.

 

Alguns dizem que ele se arrependeu, reconheceu seu erro e voltou a congregar em sua igreja batista, outros afirmam que ele permaneceu na defesa de suas teorias até a morte, mas o que se sabe é que a partir desse ponto, as doutrinas e teorias que surgem já não partem mais da pessoa de Miller, mas de seus seguidores.

 

Como Jesus não voltou, surgiu então a necessidade de uma explicação para o "problema" do advento de Miller entre seus seguidores inconformados, assim Hiram Edson, um fervoroso discípulo de Miller, teve uma "revelação". Dessa forma surge a teoria do "Santuário", que ensinava que Cristo veio sim em 22 de outubro de 1844, só que à um santuário celeste e não terreno com se cria, por isso ninguém o viu. Segundo esta teoria somente depois de "purificar" o santuário celeste é que Cristo virá a Terra.

 

 

Hiram Edson foi o pioneiro da doutrina do santuário e da doutrina sabática. Além dele, Ellen G. White também teria recebido visões a respeito da doutrina do santuário, ela escreveu muitas obras na defesa de sua fé, baseada quase sempre em revelações, de onde surgiu o seu título de "profetiza".

 

 

Heresias

 

O Juízo Investigativo

 

A doutrina adventista ensina que nossos pecados são perdoados em Cristo Jesus sim, mas não são esquecidos. Assim como na antiga aliança os pecados do povo eram conduzidos ao Santo dos Santos pelo sacerdote, a doutrina adventista ensina que Cristo teria levado nossos pecados ao santuário celeste. Por esta razão se faria necessária a "purificação" desse santuário, para que se apaguem os pecados ali registrados. Ainda segundo essa doutrina, antes que isso aconteça, deve haver um exame dos “livros de registro” para determinar quem, pelo arrependimento dos pecados e fé em Cristo, tem direito aos benefícios de Sua expiação. A purificação do santuário, portanto, envolveria uma investigação.

 

A Bíblia diz: "Na qual vontade temos sido santificados pela oblação do corpo de Jesus Cristo, feita uma vez." Hebreus 10:10

 

"Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, Daqui em diante esperando até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés. Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados." Hebreus 10:12-14

 

Somente com os dois textos acima citados podemos ver que Cristo de uma só vez ANIQUILOU o pecado e que Ele agora está assentado à destra de Deus Pai esperando o tempo se cumprir.

 

 

A expiação de Cristo

 

Hiram Edson e a Ellen G. White defendem a doutrina do “santuário celeste”. Segundo eles, a expiação não foi realizada de uma vez na cruz do calvário, mas está sendo feita aos poucos no “santuário celeste”, não durante a crucificação de Cristo, mas a partir de 1844, não pela graça salvadora ou pela fé somente, mas também pelas obras da guarda das doutrinas adventistas (não da Bíblia).

 

 

Jesus é o Arcanjo Miguel

 

Ellen G. White afirma em seu livro "Os Patriarcas" (pág. 366) que Jesus é o Arcanjo Miguel (essa doutrina também foi adotada pelos Testemunhas de Jeová, que se originaram a partir do Adventismo).

 

"Ainda mais: Cristo é chamado o Verbo de Deus. João 1:1-3. É assim chamado porque Deus deu Suas revelações ao homem em todos os tempos por meio de Cristo. Foi o Seu Espírito que inspirou os profetas. 1 Pedro 1:10 e 11. Ele lhes foi revelado como o Anjo de Jeová, o Capitão do exército do Senhor, o Arcanjo Miguel. Foi Cristo que falou a Seu povo por intermédio dos profetas." - Ellen G. White.

 

A Bíblia, na verdade, apresenta muitas diferenças entre Jesus e Miguel:

  • Jesus é criador (João 1:3), Miguel é criatura (Judas 1:9; Colossenses 1:16);

  • Jesus é adorado (Hebreus 1:6), Miguel não pode ser adorado (Apocalipse 22.8-9);

  • Jesus é o Senhor dos Senhores e Rei dos Reis (Apocalipse 17:14), Miguel é príncipe (Daniel 10:13; 12:1). 

 

 

A Natureza Pecaminosa de Jesus


O Adventismo declara que Jesus herdou o pecado de Adão como qualquer outro homem: "Em sua humanidade, Cristo participou de nossa natureza pecaminosa, caída... De sua parte humana, Cristo herdou exatamente o que herda todo o filho de Adão – uma natureza pecaminosa" (Estudos Bíblicos. CPB. P. 140/41).

 

A Bíblia porém nos diz que o pecado veio ao mundo por Adão (Romanos 5:12), Cristo porém foi concebido pelo Espírito Santo (Lucas 1.30), diferenciando-se de todos os homens, sem pecado.

 

"Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus." 2 Coríntios 5:21

 

 

O Inferno


Para os adventistas não existe inferno: "Agora o príncipe das trevas, operando por meio de seus agentes, representa a Deus como um tirano vingativo, declarando que Ele mergulha no inferno todos os que não Lhe agradam, e faz com que sempre sintam a Sua ira; e que, enquanto sofrem angústia indizível, e se contorcem nas chamas eternas, Seu Criador para eles olha com satisfação. Assim o príncipe dos demônios reveste com seus próprios atributos ao Criador e Benfeitor da humanidade. A crueldade é satânica. Deus é amor” (Livro: O Grande Conflito, p.534).

 

Jesus nos ensinou, diversas vezes, sobre o inferno, como sendo o destino vindouro aos que rejeitaram a graça de Deus Pai: Mateus 13:41-42; 49-50; 22:13; 24.50-51; 25:30, 41, 46; 26:24; Marcos 9:45, 47-48; Lucas 12:4-5; 13:27-28; 2 Tessalonicenses 1:9.

 

A Bíblia diz que Deus é amor, mas também diz que Ele é fogo consumidor e justo juiz (Hebreus 12:29; Salmos 7:11).

 


O Sábado

 

Para os adventistas a guarda do sábado é indispensável para a salvação, baseados principalmente nos escritos de Ellen G. White, que diz:

"Santificar o sábado ao Senhor importa em salvação eterna.” (Livro: Testemunhos Seletos, vol. 3, pág. 23).

 

Que é, pois, a mudança do Sábado, senão o sinal da autoridade da igreja de Roma – “a marca da besta”; “O selo da lei de Deus se encontra no quarto mandamento... Os discípulos de Jesus são chamados a restabelecê-lo, exaltando o Sábado...” (Livro: O Grande Conflito, pag. 267 e 269).

 

Para os adventistas a marca da besta do livro de Apocalipse está diretamente ligada a guarda do sábado, também baseado nos escritos de White, como visto acima. A Bíblia por sua vez nos revela características do que será a marca da besta (Apocalipse 13:16-18), mas não no diz claramente o que ela é.

 

Além disso, na igreja primitiva, os judaizantes insistiam na necessidade de se manter os ritos da lei (Atos 15:5), mas os apóstolos do Senhor Jesus nos ensinam, em seus escritos que Jesus Cristo não aboliu, mas cumpriu a lei em si mesmo, nos oferecendo uma nova aliança, a graça (Gálatas 3; Hebreus 8:13; 2 Coríntios 3:6; Tiago 2:10). Manter os ritos da lei é anular e invalidar os feitos do Senhor Jesus.

 

A Bíblia declara: "Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei." Romanos 3:28

 

"Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo." Colossenses 2:16,17

 

 

Exclusivismo

 

Os adventistas são extremamente exclusivistas, pois suas doutrinas dizem que eles são a única remanescente Igreja de Cristo na Terra, baseados principalmente na doutrina sabática.

 

A Bíblia nos diz: “Mas, a todos quantos o receberam, aos que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus” João 1:12


A Bíblia nos ensina que se você crê em Jesus Cristo como seu Salvador, se torna filho de Deus, morada do Espírito Santo (1 Coríntios 3:16), Igreja de Jesus Cristo na Terra, Corpo de Cristo (Efésios 4:12) e Ele te leva a uma nova vida (Romanos 6:4), a guarda dos mandamentos do Pai (João 14:21). Você não guarda os mandamentos para ser salvo, você guarda os mandamentos por que é salvo. Além disso a guarda dos mandamentos é algo moral, espiritual e não ritual, carnal.

 

 

Simbologia adventista ou maçônica?

 

O olho que tudo vê

Abaixo você encontrará alguns materiais gráficos da comunidade adventista:

  • Uma das capas da Ministry Magazine - Ministry, International Journal for Pastors (Revista Ministério - Ministério, Jornal Internacional de Pastores);

  • Algumas das capas da Adventist Today Magazine (Revista Adventista Hoje);

  • A capa do DVD do pastor adventista Doug Batchelor, para o programa Amazing Facts (Fatos Incríveis);

  • A antiga marca do Adventist Community Health Centre (Centro Comunitário de Saúde Adventista).

 

 

Obeliscos

O túmulo da família White possui um obelisco (poste ídolo) bem no centro em grande destaque. Para quem não sabe o obelisco é um símbolo satânico da era egípcia que representa o pênis do deus Sol (Baal) egípcio, Osíris, e também é muito usado pelos maçons.

 

 

Além deste obelisco encontrado no túmulo da família White, encontramos outros, nos templos das igrejas também.

 

 

Chão quadriculado

No programa "Na mira da verdade" da Rede Novo Tempo, o cenário nos mostra um chão quadriculado em preto e branco, típico das lojas maçônicas, veja:

Por essas e outras a igreja Adventista do Sétimo Dia não é considerada uma igreja protestante, pois ela tem suas próprias doutrinas.

 

Paz seja contigo!

 

Fontes:

Wikipedia

Solascriptura

Adventistas.org

Centrowhite.org.br

Atoday.org

Ministrymagazine.org

Please reload

ESTUDOS RECENTES

March 14, 2019

July 3, 2018

Please reload

DESTAQUES

A "IGREJA" MODERNA E SEU FALSO "EVANGELHO"

21.09.2017