POR QUE ALGUNS JUDEUS NÃO RECONHECEM JESUS COMO O MESSIAS?

25.05.2016

Por mais de 2000 anos boa parte do povo judeu rejeita a pessoa de Jesus como o seu messias prometido. Alguns se iram somente ao ouvir o nome de Jesus Cristo, outros chegam até mesmo a dizer que ele não passava de um impostor, uma boa parte não vê ligação alguma entre ele e o judaísmo, enquanto outra pequena parte o reconhece como Messias prometido pelas Sagradas Escrituras. Quais são as razões para tanta discordância? Em que os que o negam se baseiam? O que eles esperam para seu messias que Jesus não cumpriu? Como podemos compreender melhor isso?

 

 

Jesus Cristo, ou melhor Yeshua Hamashia (seu nome original, que significa "salvar" ou "salvação"), era judeu, da tribo de Judá, não somente por sua descendência, mas também por sua prática. Ao contrário do que muitos dizem, Jesus não viveu o "cristianismo", mas o judaísmo conforme as Sagradas Escrituras, baseado nas leis de Deus e não nas tradições criadas pelo homem ao longo dos séculos. Ele não veio para criar uma nova religião centralizada em si mesmo, mas para conduzir o homem ao pleno cumprimento da Torá, não criou novos mandamentos, mas nos ensinou a guardar os já existentes, não somente através de rituais externos, mas principalmente de coração puro e reto diante de Deus, reafirmando cada um deles em seus ensinos, sempre apontando para o interior do homem, sempre colocando o Pai como o centro de tudo, e expondo a hipocrisia do homem no cumprimento das leis de Deus.

 

Jesus Cristo levou o judaísmo ao mundo todo através de seu ministério, todos as pessoas que possuem uma Bíblia em suas casas, possuem uma cópia da Torá e da Tanach, portanto conhecem o Deus de Abraão, Isaque e Israel, mas apesar disso, Jesus não foi e não é, até os dias de hoje, plenamente compreendido por muitos dos seus. Ele mesmo disse:

"Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir." Mateus 5:17

 

Jesus Cristo e as profecias sobre o Messias


Os Escritos Sagrados (A Tanach e o Velho Testamento da nossa Bíblia) apontam para diversas profecias que sinalizariam ao povo quem seria o seu Messias, como e quando se daria a sua vinda, quais seriam os seus feitos. Jesus teria cumprido muitas dessas profecias, a maioria delas somente nas suas últimas 24h de vida, vejamos algumas delas:

 

  1. Descendente de Davi - Predição: Isaías 9:6,7; Cumprimento: Mateus 1:1;

  2. Feito primogênito de Deus - Predição: Salmos 89:27; Cumprimento: Colossenses 1:15;

  3. Anunciado após a ordem para a reedificação de Jerusalém - Predição: Daniel 9:25; Cumprimento: João 12:12-13;

  4. Seria Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz - Predição: Isaías 9:6; Cumprimento: João 7:46, 10:30; Apocalipse 1:8; Colossenses 1:20;

  5. Receberia seu nome antes de nascer - Predição: Isaías 49:1; Cumprimento: Lucas 1:30-31;

  6. Nasceria em Belém - Predição: Miquéias 5:2; Cumprimento: Mateus 2:1-6,11;

  7. Nasceria de uma virgem -  Predição: Isaías 7:14; Cumprimento: Mateus 1:18-25;

  8. Seria Filho de Deus - Predição: 1 Crônicas 17:13-14 e Salmo 2:7; Cumprimento: Mateus 3:16-17 e João 9:35-37;

  9. Seria Deus - Predição: Isaías 7:14; Cumprimento: Mateus 1:23;

  10. Matariam crianças para tentar matar o messias - Predição: Jeremias 31:15; Cumprimento: Mateus 2:16-18;

  11. Seria chamado do Egito - Predição: Oséias 11:1; Cumprimento: Mateus 2:14,15;

  12. Seria experimentado em trabalhos - Predição: Isaías 53:3; Cumprimento: Marcos 6:3;

  13. Ministraria na região da Galiléia - Predição: Isaías 9:1-2; Cumprimento: Mateus 4:12-17;

  14. Seria Profeta - Predição: Deuteronômio 18:15,18; Cumprimento: Mateus 21:11;

  15. Seria sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque - Predição: Salmo 110:4
    Cumprimento: Hebreus 6:17-20;

  16. Seria "A Pedra" - Predição: Isaías 28:16 e Salmos 118:22; Cumprimento: 1 Coríntios 10:4;

  17. Seria Rei - Predição: Salmo 2:6; Cumprimento: João 12:12-13;

  18. Seu trono é eterno - Predição: 1 Crônicas 17:11-12; Cumprimento: Lucas 1:32-33;

  19. Aquele que o precederia prepararia o caminho e viveria no deserto - Predição: Isaías 40:3; Cumprimento: Mateus 3:1-3 e Marcos 9:11-13;

  20. Seria luz das nações - Predição: Isaías 9:2; Cumprimento: Mateus 4:12-16;

  21. Anunciaria aos gentios o juízo - Predição: Isaías 42:1,6; Cumprimento: Mateus 12:9-21;

  22. Viria para todos os povos - Predição: Isaías 11:10; Cumprimento: Atos 13:47-48;

  23. Falaria em parábolas - Predição: Salmos 78:2; Cumprimento: Mateus 13:34-35;

  24. Cegos, surdos, mudos e aleijados seriam curados - Predição: Isaías 35:5-6; Cumprimento: Marcos 10:51-52, 7:32-35, Mateus 12:10-13, Mateus 9:32-33;

  25. Seria discreto - Predição: Isaías 42:2; Cumprimento: Mateus 12:15-21;

  26. Se assentaria sobre um jumento - Predição: Zacarias 9:9; Cumprimento: Mateus 21:6-11;

  27. Seria desprezado - Predição: Salmo 22:6; Cumprimento: João 1:46;

  28. Seria rejeitado pelos Seus - Predição: Salmo 69:8 e Salmos 118:22; Cumprimento: João 1:11 e Marcos 12:10-12;

  29. Os líderes do povo conspirariam contra Ele - Predição: Salmo 2:2; Cumprimento: Mateus 26:3-4;

  30. Aflito - Predição: Salmos 22:14; Cumprimento: Mateus 26:37,38;

  31. Seria acusado por falsas testemunhas - Predição: Salmos 35:11; Cumprimento: Mateus 26:59-60;

  32. Seria  traído por um amigo - Predição: Salmos 55:12-14; Cumprimento: Mateus 26:48-50;

  33. Seria vendido por trinta moedas de prata - Predição: Zacarias 11:12; Cumprimento: Mateus 27:1-3;

  34. Dinheiro jogado ao oleiro -  Predição: Zacarias 11:13; Cumprimento: Mateus 27:5-7;

  35. Seria abandonado pelos seus seguidores - Predição: Zacarias 13:7; Cumprimento: Mateus 26:56;

  36. Seus amigos ficariam à distância - Predição: Salmos 38:11; Cumprimento: Lucas 23:49;

  37. Ficaria calado diante dos Seus acusadores - Predição: Isaías 53:7; Cumprimento: Mateus 27:12-14;

  38. Seria preso, julgado e morto - Predição: Isaías 53:8; Cumprimento: Mateus 26:47, 27:27; João  19:16;

  39. Receberia sobre si a punição que nós deveríamos receber - Predição: Isaías 53:5; Cumprimento: Lucas 23:33;

  40. O feririam e cuspiriam Nele - Predição: Isaías 50:6; Cumprimento: Mateus 27:30;

  41. Seria ferido e moído - Predição: Isaías 53:5; Cumprimento: Mateus 27:26,29;

  42. Ficaria desfigurado - Predição: Isaías 52:14; Cumprimento: Mateus 26:67-68;

  43. Padeceria junto a ladrões - Predição: Isaías 53:12; Cumprimento: Marcos 15:17,18;

  44. Oraria por aqueles que o matariam - Predição: Isaías 53:12; Cumprimento: Lucas 23:34;

  45. As pessoas balançariam a cabeça - Predição: Salmos 109:25; Cumprimento: Mateus 27:39;

  46. As pessoas o ridicularizariam, dizendo "salvar-se a si mesmo" - Predição: Salmos 22:8; Cumprimento: Mateus 27:41-43;

  47. Tirariam suas roupas e lançariam sortes - Predição: Salmos 22:18; Cumprimento: João 19:23,24;

  48. Seria desamparado por Deus - Predição: Salmos 22:1; Cumprimento: Mateus 27:46 e Marcos 15:34;

  49. Teria sede e lhe dariam fel e vinagre - Predição: Salmos 69:21; Cumprimento: Mateus 27:34;

  50. Se entregaria a Deus - Predição: Salmos 31:5; Cumprimento: Lucas 23:46;

  51. Morreria - Predição: Isaías 53:8 e Daniel 9:26; Cumprimento: Marcos 15:37;

  52. Nenhum osso seria quebrado - Predição: Êxodo 12:46; Cumprimento: João 19:33,36;

  53. Teria o lado perfurado - Predição: Zacarias 12:10; Cumprimento: João 19:34,37;

  54. Haveria trevas sobre a Terra - Predição: Amós 8:9; Cumprimento: Mateus 27:45;

  55. Os mortos ressuscitariam - Predição: Isaías 26:19; Cumprimento: Mateus 27:52-53

  56. As pessoas contemplariam - Predição: Salmos 22:17; Cumprimento: Lucas 23:35;

  57. Sua alma expiaria nossos pecados - Predição: Isaías 53:10; Cumprimento: João 1:29;

  58. Seria sepultado no túmulo de um homem rico - Predição: Isaías 53:9; Cumprimento: Mateus 27:57-60;

  59. Ressuscitaria - Predição: Salmo 16:8-10 e Isaías 53:11; Cumprimento: Mateus 28:6;

  60. Construiria o terceiro templo - Predição: Zacarias 6:12,13; Cumprimento: João 2:19-21

  61. Levaria nossas enfermidades - Predição: Isaías 53:4; Cumprimento: Mateus 8:16-17;

  62. Seria Senhor à destra de Deus - Predição: Salmo 110:1; Cumprimento: Mateus 22:41-45 e Marcos 16:19;

  63. Após a morte do messias, Jerusalém seria destruída por outro povo - Predição: Daniel 9:26; Cumprimento: A história nos mostra que Jerusalém foi destruída em 70 d.C. por Tito Flávio, general romano.

  64. Após a destruição de Jerusalém, até ao fim, haveria guerra e assolações - Predição: Daniel 9:26b; Cumprimento: A história nos mostra que Jerusalém é o principal palco de guerras e conflitos em todo o mundo desde então, até os dias de hoje. O verso 27 de Daniel 9 fala sobre a última semana profética que ainda não se cumpriu, e que precede a segunda e definitiva vinda no nosso Senhor, no que o Novo Testamento é chamado de "a tribulação" ou “tempo de angústia para Jacó” (Jeremias 30:7).

 

Apesar de tudo isso, para alguns dos judeus Jesus não é o seu Messias, pois entre outras coisas, não teria cumprido algumas profecias que eles esperam que o messias cumpra em sua chegada. São elas:

 

  1. Reunião dos Judeus de volta à Israel (Isaías 11:10-12);

  2. A construção do terceiro Templo (Ezequiel 37:26-28; 40-46);

  3. Paz mundial (Isaías 2:4);

  4. Que o Deus de Israel seja o único Deus de toda a terra (Zacarias 14:9).

 

Essas profecias realmente ainda não se cumpriram? Mas por que, se Jesus Cristo é o Messias e já veio? Então Jesus não é mesmo o Messias?

Na realidade o povo falhou, e tem falhado, quanto ao entendimento das Escrituras ao longo dos séculos. Por isso o Cristo nos reconduziu de volta à Torá, cumprindo a lei em si mesmo, e nos levará ao pleno conhecimento de Deus na plenitude dos tempos (1 Coríntios 13:12).

 

1. A reunião dos judeus de volta à Israel: já aconteceu, mais de uma vez inclusive, no retorno dos diversos cativeiros e no final da Segunda Guerra Mundial, após o holocausto, mas a primeira vez, após o cativeiro babilônico, é o destaque aqui. Você entenderá melhor lendo mais abaixo Daniel 9:24-27.

 

A terceira grande "reconstrução" ou remodelação do Templo judeu se deu pelos romanos, mais exatamente por Herodes. Foi neste Templo que Jesus passou pela porta que olha para o oriente (Ezequiel 44:1-2), vindo do Monte das Oliveiras e entrou na Cidade Santa sendo aclamado Rei (Zacarias 9:9; João 12:12-16; Mateus 21; Marcos 11; João 12). Durante séculos o portão dourado esteve aberto, mas quando os servos de Solimão, o sultão (que era muçulmano), terminaram de reconstruir as muralhas, ele que conhecia a tradição judaica, quis impedir o cumprimento das profecias. Para isso mandou fechar o portão e ainda mandou construir um cemitério logo em frente, para que ao passar por ali o messias fosse obrigado a transgredir sua lei (Números 19). Desde 1541 o portão está fechado e lacrado, e o cemitério ainda existe bem em frente ao portão, mas mal sabia o sultão, que ao tentar impedir o cumprimento de uma profecia, ele acabará cumprindo outra, a de Ezequiel 44:1-2. Jesus Cristo passou por este portão e desde então ele está fechado e somente Ele passará por lá novamente na sua volta, pois Zacarias 14 diz que o messias virá sobre o Monte das Oliveiras e este se fenderá com um terremoto, abrindo novamente o caminho fechado até então.

 

 E as demais profecias, a paz mundial e Yahweh como o único Deus de toda a terra? Estas só se cumprirão na segunda vinda de Cristo, no final das setenta semanas de Daniel. Preste bem a atenção na profecia:

 

"Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos." Daniel 9:24,25

 

A contagem das 70 semanas se inicia na ordem para restaurar e edificar a Santa Cidade, essa ordem se deu nos dias de Neemias (por volta de 445 a.C.).

No período citado em Daniel 9:25 há uma separação na contagem, 7+62, num total de 69 semanas (476 anos conforme o nosso calendário), que vão desde a ordem para restaurar e edificar a santa cidade até o surgimento do Messias* (445 - 476 = 31, ano em que Cristo já estava ativo em seu ministério terreno - Lucas 3,23), restando portanto 1 semana a se cumprir.

 

*Alguns alegam que a palavra Messias significa "ungido" e que Jesus Cristo não pode ser o Messias, pois não foi ungido com o óleo, conforme o costume, mas é preciso lembrar que a unção com o óleo era simbólica, e representava a unção do Espírito sobre a vida daquela pessoa, além disso representava também que aquela pessoa tinha sido "escolhido" para algo. Jesus foi ungido por Deus com o Espírito Santo para propagar a Boa Nova e libertar os que tinham sido escravizados pelo pecado (Lucas 4:18-19, Atos 10:38), exatamente como Daniel 9:24 diz.

 

"E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações." Daniel 9:26

 

Aqui há uma pausa na contagem, e é dito que após o fim das 62 semanas citadas no verso 25 o Messias seria "cortado", e logo após a cidade e o Templo seriam destruídos. Sabemos que após esse período Jesus Cristo foi crucificado e anos depois (em 70 d.C.) Jerusalém e o Templo foram totalmente destruídos pelos romanos.

 

"E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador." Daniel 9:27

 

Aqui a contagem recomeça quando uma aliança é firmada entre "muitos" e o povo santo por 1 semana (7 anos), exatamente o período que resta para finalização das 70 semanas de Daniel, e é dito que na metade desse tempo essa aliança será quebrada, e o "assolador" se revelará, até a consumação.

 

Há duas linhas predominantes de interpretação para o verso 27:

1ª - Para alguns, esses sete anos já teriam se cumprido, com Antíoco IV Epifânio, que fez uma aliança com o povo judeu, mas quebrou o pacto, proibindo a guarda dos costumes judaicos e profanando o Templo de Yahweh, com uma estátua de Zeus e sacrificando porcos (animal considerado imundo) sobre o altar do Templo de Jerusalém. O grande problema desta interpretação é que ela foge a sequencia de tempo pré-estabelecida por Daniel, pois Antíoco Epifânio que só deveria surgir e fazer essa aliança após o ano 31 (mais ou menos), viveu entre 215 a.C. e 162 a.C, ou seja, fora do período apontado por Daniel.

2ª - Para outros, esses sete anos ainda vão se cumprir, a partir de uma aliança de paz que será firmada entre o povo judeu e um novo líder (representando os "muitos" citados no texto) que se levantará como o redentor de Israel, para por em ação a "operação do erro" (2 Tessalonicenses 2:11). Este período será dividido em duas etapas de 3 anos e meio, na primeira metade haverá uma "falsa" paz (1 Tessalonicenses 5:3), e na segunda metade o que chamamos de "a grande tribulação", onde este líder quebrará o pacto, e se revelará verdadeiramente - o anticristo. Somente no final deste período, não sabemos exatamente a data, Jesus Cristo retornará para consumar a justiça divina e estabelecer seu reino milenar (Apocalipse 11:2-3; Mateus 24:21,22,30).

 

 

AS DUAS VINDAS DO MESSIAS

 

Por que alguns dos judeus não aceitam a interpretação de duas vindas do seu messias, mas somente uma? Pedro fala sobre isso, mostrando que os profetas não perceberam claramente a diferença entre os sofrimentos e a glória que cercariam o cristo (1 Pedro 1:10,11). O antigo testamento fala tanto sobre os sofrimentos, quanto sobre a glória do messias, dando maior ênfase a glória certamente, mas o povo se apegou somente a glória e se esqueceu do sofrimento. A maior prova disso veio dos próprios discípulos de Jesus, judeus, que não compreenderam facilmente que Ele, Jesus, precisava padecer, morrer e ressuscitar para que as Escrituras se cumprissem. Foram avisados pelo Mestre, foram lembrados dos Escritos que falam sobre isso e ainda sim não compreenderam e não acreditaram, até ver Jesus ressuscitado. A "cruz" representa o sofrimento da primeira vinda, o sacrifício eterno pelos pecados do homem, e a "coroa" representa a glória da segunda vinda, o reino eterno, o governo divino, a restauração de todas as coisas.

 

 

OS TEXTOS PROIBIDOS

 

Esta talvez seja a parte mais importante e mais delicada de todo este estudo. Para nós cristãos protestantes a Bíblia é o único Texto Sagrado que existe, ela é a nossa lei e nenhum homem tem autoridade maior do que ela. Todos os outros textos que surgiram após os apóstolos, mesmo os escritos pelos pais da igreja por exemplo, são relevantes, mas não tem o mesmo peso, pois não são divinamente inspirados. Sola scriptura!

 

Para o povo de Israel Deus deixou a Tanach (equivalente ao nosso Velho Testamento), que contém a Torá (equivalente ao nosso Pentateuco), mas ao longo dos anos diversos textos rabínicos foram surgindo e ganhando o mesmo ou mais peso que os textos originais. O grande problema é que esses textos muitas vezes se contrariam, e o que tem prevalecido nos ensinos judaicos hoje são os textos rabínicos, não os divinamente inspirados. Veja um exemplo: 

 

A Tanach ensina que o messias seria descendente de Davi (Isaías 9:7), portanto da tribo de Judá, mas o Rabino Yosef Berger, líder da sinagoga Túmulo do Rei Davi, localizada no Monte Sião, em Jerusalém está anunciando o oposto, baseado em "textos antigos": “Segundo textos antigos (Zohar e Rambam)* ele não virá de Jacó… um descendente da tribo de Judá”.

 

*Zohar é o livro base da mística judaica compilado pelo sábio Rabi Shimon Bar Yochai e Rambam ou Rabi Moshê ben Maimon (mais conhecido como Maimônides). Um filósofo judeu, religioso, codificador rabínico e médico.

 

Veja que o Talmud ensina diversas práticas que vão totalmente contra os ensinos da Tanach:

  • Permite que judeus façam o mal (Moed Kattan 17a): "Se um Judeu é influenciado a fazer o mal ele deveria ir a uma cidade onde ele não é conhecido e fazer o mal ali."

  • Estipula pena de morte para quem desobedecer os Rabis (Erubin 21b): "Todo aquele que desobedece os rabis merecem a morte e serão punidos sendo fervidos em excrementos quentes no inferno."

  • Ensina que trapacear não-judeus é permitido (Sanhedrin 57a): "Um judeu não precisa pagar a um gentio ("Cuthean") os salários devidos a ele pelo trabalho."

  • Dá aos judeus status de superioridade (Baba Kamma 37b): "Se um boi de um israelita fere um boi de um cananita não há responsabilidade; mas se um boi de um cananita fere um boi de um israelita...o pagamento deve ser total".

  • Ensina que judeus podem roubar e matar não-judeus (Sanhedrin 57a): "Quando um Judeu mata um gentio ("Cuthean"), não haverá qualquer pena de morte. O que um judeu rouba de um gentio, ele pode guardar."

  • Ensina que crianças não-judias são sub-humanas (Yebamoth 98a): "Todas crianças gentias são animais."; (Abodah Zarah 36b): "Meninas gentias estão em um estado de niddah (imundície) desde o nascimento."

  • Ensina que Adão teve relações sexuais com animais do Jardim do Eden (Yebamoth 63a);

  • Ensina que um Judeu pode fazer sexo com uma criança de menos de nove anos de idade (Sanhedrin 54b);

  • Declara que nenhum rabi pode ir para o inferno (Hagigah 27a);

  • Declara que um rabi debate com Deus e o derrota, e Deus admite que o rabi venceu o debate (Baba Mezia 59b).

  • É dito que Jesus e seus discípulos praticaram feitiçaria e magia negra, liderando judeus à idolatria, com o propósito de subverter a adoração judaica (Sanhedrin 43a);

  • É dito que Jesus ensinou bruxaria no Egito e, para executar milagres, usou procedimentos que envolviam cortar sua carne (Shabbos 104b);

 

Segundo o Talmud a era messiânica é agora e sua vinda é eminente, mas segundo a Tanach (conforme o texto de Daniel 9:25-27 mostrado acima) a era da primeira vinda do messias já passou. O Talmud também contém ensinamentos específicos sobre Jesus, que em geral deturpam sua imagem em relação a todos os relatos externos da pessoa de Cristo, além de incitar o ódio. Veja alguns:

  • É dito que Jesus está no inferno, sendo fervido em "excrementos quentes" (Gittin 57a);

  • É dito que Jesus é um o filho bastardo que "descobriu sua cabeça" e foi concebido na sujeira da menstruação de uma mãe adúltera (Kallah 51a);

  • Além de tudo isso, de acordo com o Talmud, Jesus foi executado por uma corte rabínica própria e todas as fontes clássicas judaicas que mencionam essa execução são totalmente felizes em tomar para si a responsabilidade por sua morte.

  • É dito que quem rejeita o Talmud irá para o inferno (Rosh Hashanah 17a): "Cristãos (minnim) e outros que rejeitam o Talmud irão para o inferno e serão punidos lá por todas as gerações."

  • É ordenada a destruição da Bíblia (Shabbath 116a): "Os judeus devem destruir os livros dos cristãos, p.e. o Novo Testamento."

 

Judeus leem textos "proibidos" da Tanach sobre o messias:

 

 

OUTROS PONTOS DE DISCÓRDIA

 

1 - A tri-unidade de Deus:

 

Para os judeus a tri-unidade de Deus transforma Deus em três deuses distintos, e isso contraria a teologia judaica, pois Deus é um conforme Deuteronômio 6:4. A tri-unidade de Deus é considerada idolatria pela teologia judaica.

 

Na realidade a teologia cristã nunca pregou três deuses, mas somente um Deus, manifesto de três formas distintas. Assim como água, gelo e vapor, no fim são um único elemento, manifesto em três formas distintas, Pai, Filho e Espírito Santo são três manifestações de um único Deus. As Escrituras nos mostram isso:

  • Nos textos originais o substantivo plural “Elohim” é frequentemente usado para se designar Deus;

  • Gênesis 1:26 diz: "E disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança";

  • Gênesis 3:22 diz: "Então disse o Senhor Deus: Eis que o homem é como um de nós...";

  • Gênesis 11:7 diz: "Eia, desçamos e confundamos ali a sua língua, para que não entenda um a língua do outro.";

  • Números 6:24-26; Isaías 6:3 e Apocalipse 4:8 apresentam: "Santo, Santo, Santo" em referência à tri-unidade;

  • Salmos 45:6,7: revela o Deus Pai e o Deus Filho, fazendo ainda distinção entre o Filho e os demais homens (Leia também Hebreus 1:8-9);

  • Salmos 110:1 revela dois Senhores (Pai e Filho): "Disse o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.” (Leia também Colossenses 3:1);

  • O Anjo do Senhor (hb. mal’ak, embaixador, rei, enviado, sempre de Deus, Yaweh ou Yehova) no AT é uma teofania/cristofania: Gênesis 22:11,16; 31:11,13; 18:1,13-14; Êxodo 3:2-5; Juízes 13:18-22; Daniel 3:25,28;

  • Jesus em oração ao Pai (João 17:11,21,22) diz: "...para que sejam um, assim como nós."; "...que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste."; "E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos UM."

 

 

2 - Jesus é Deus

 

Para os judeus, Deus é incorpóreo, ou seja, não assume nenhuma forma física. Deus é eterno, infinito, e não pode nascer ou morrer (Números 23:19). Para eles, dizer que Deus assumiu uma forma humana diminui sua divindade e sua unidade. O Judaísmo diz que o Messias nascerá de pais humanos, com atributos físicos normais, não possuirá características sobre-naturais.

 

As Escrituras nos revelam que Deus não é homem e sim espírito, mas também nos revelam que Ele é onipotente (Salmos 91:1), isso significa que Ele pode tudo, desde que isso não contrarie a Sua natureza reta. Dizer que ele não pode assumir forma física é negar Sua onipotência, é contrariar as Escrituras.

Como harmonizar esses dois fatos então? Reconhecendo que "Deus amou o mundo de tal maneira", que escolheu diminuir-se em forma humana" (Hebreus 9:22) para salvar a humanidade perdida (Filipenses 2:7,8; João 1:14). Dizer que a humanidade de Deus, em Jesus, divide a Sua divindade, nega a sua onipresença (Jeremias 23:23-24), nega as Escrituras.

 

Jesus não era um semi-deus, Jesus era 100% homem e 100% Deus. Enquanto se fez homem, era sujeito a todas as limitações físicas que um homem está sujeito: era nascido do ventre de uma mulher, sentia dor, fome, sede, tristeza, angustia e estava sujeito a morte física como qualquer outro homem. Enquanto Deus, era onisciente, eterno, justo... A grande questão aqui é que enquanto Jesus era homem não considerou que o ser igual ao Pai (Filipenses 2:6), mas limitou-se as nossas limitações para fazer por nós aquilo que somente ele poderia fazer, cumprir totalmente a lei e nos livrar dos nossos pecados, como o cordeiro pascoal sem mancha, perfeito.

 

"Porque assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu, eu mesmo, procurarei pelas minhas ovelhas, e as buscarei. Como o pastor busca o seu rebanho, no dia em que está no meio das suas ovelhas dispersas, assim buscarei as minhas ovelhas; e livrá-las-ei de todos os lugares por onde andam espalhadas, no dia nublado e de escuridão." Ezequiel 34:11,12

 

"E suscitarei sobre elas um só pastor, e ele as apascentará; o meu servo Davi é que as apascentará; ele lhes servirá de pastor." Ezequiel 34:23

 

 

3 - Intermediário para a oração

 

Os judeus acreditam que Jesus é uma espécie de intermediário para nossas orações (João 14:6) e segundo eles na teologia judaica a reza é um assunto pessoal, entre cada indivíduo e Deus (Salmos 145:18).

 

Isso é um grande engano, pois o próprio Jesus ensina como nossas orações deveriam ser, e em nenhum momento se colocou como "intermediário" para isso, veja: "Portanto, vós orareis assim: "Pai nosso, que estás nos céus..." (Mateus 6:9). Isso é uma oração direta ao Pai, sem intermediários. O texto normalmente citado de João 14:6 fala de salvação e não de oração.

 


4 - Mundo físico

 

Judeus alegam que os cristãos vêem o mundo físico como pecado que deve ser evitado, através de celibatos e isolamentos, o que não é bem uma verdade, e além disso, contraria totalmente o que a Bíblia nos orienta. Veja:

 

"E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma ajudadora idônea para ele." Gênesis 2:18

 

"Por isso deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á a sua mulher," Marcos 10:7

 

"Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se." 1 Coríntios 7:9

 

"Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seu trabalho. Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante." Eclesiastes 4:9,10

 

O termo "mundo" muitas vezes é usado em referencia ao pecado e não ao mundo físico literal. O celibato é questão de dom, não de imposição ou de penitência, assim como o isolamento por um determinado período, é uma questão pura e simples de consagração.

 

 

5 - Jesus não possuía as qualificações esperadas

 

Quando o povo de Israel no passado decidiu que precisava de um rei, assim como as outras nações possuíam seus reis, Deus permitiu que o povo escolhesse o seu rei e eles escolheram Saul, adulto, alto, homem de boa aparência. Quando Deus escolheu quem seria o rei de Israel, escolheu Davi, jovem, baixinho, de bom coração.

 

O povo judeu esperava que seu messias fosse uma espécie de rei Saul, que viria, guerrearia contra os romanos e libertaria o povo da opressão, mas Jesus veio feio, pobre, trabalhador, humilde, nazareno, manso, falando de liberdade espiritual, coração puro, amor ao próximo, e o povo o rejeitou.

 

Mas na verdade eles alegam que Jesus não cumpriu alguns requisitos mínimos:

 

A) O messias como profeta: Alegam que Jesus não era profeta, pois Jesus surgiu 300 anos depois que as profecias já haviam terminado, além disso alegam que profecias só poderiam acontecer na Terra de Israel, quando a terra fosse habitada por uma maioria judaica, o que segundo eles não aconteceu nos tempos de Jesus.

 

A pergunta que não quer calar é: Como as profecias poderiam já ter terminado se as Escrituras afirmam que o espírito de "Elias", um profeta, iria anunciar a chegada do Messias, e este ainda não havia chegado? Como as profecias só poderiam acontecer na Terra de Israel, quando a terra fosse habitada por uma maioria judaica se mesmo na Babilônia, longe de sua terra e de seu povo, Daniel foi profeta?

 

Jesus foi reconhecido como profeta pelo povo (Mateus 21:11) e precedido por outro profeta chamado João Batista, que também era reconhecido como tal por todo o povo de sua época (Mateus 21:26). Outro grande problema aqui é a falta de bom senso ao dizer que o povo não estava em sua maioria de volta em sua terra no período de Jesus, uma vez que a história nos mostra que o povo judeu foi repatriado no período de Esdras e Neemias, o que antecedeu o nascimento de Jesus, exatamente como previsto em Daniel 9:25,26.

 

B) Como descendente de Davi: Alguns alegam que se Jesus nasceu de uma mãe virgem, então não tinha pai, não podendo descender do Rei Davi, outros chegam a dizer que Maria era uma prostituta... Eu não vou nem comentar essa parte. A própria tradição judaica diz que: "é considerado judeu, aquele que nasce de mãe judia" (Mishnê Torá – Sefer Qedushá – Hilkhot Issurê Biá 15:4). Além disso, os textos sagrados nos mostram que Jesus foi reconhecido como filho de José, por seus contemporâneos (Mateus 13:55).

 

C) Como observante da lei: Alegam que o messias levará o povo judeu a cumprir as leis da Torá e que Jesus contradisse a Torá por não guardar o sábado e por dizer (segundo eles) que seus mandamentos não eram mais aplicáveis.

 

Jesus nunca disse que a lei não era mais "aplicável", na verdade Ele veio justamente cumprir a lei (Mateus 5:17), se oferecer como o nosso cordeiro pascoal, e nos ensinar a maneira correta de aplicá-la, uma vez que o povo estava agindo com legalismo e hipocrisia no cumprimento das leis de Deus, sem amor, sem misericórdia, sem temor, sem reverencia, sem obediência, e Deus não estava nada satisfeito com isso, uma vez que Deus vê o interior e não a aparência. Os profetas maiores e menores deixam isso bem claro.

 

Jesus levou o povo ao verdadeiro cumprimento da lei, ao olhar para dentro de si, abordando duramente a hipocrisia deles nas ofertas ao Senhor (Marcos 12:41-44), na guarda do sábado (Lucas 14:3-6), no amor ao próximo (Lucas 10:25-37) e em tantas outras coisas. O profeta Ezequiel já vinha alertando o povo quanto a isso:

 

"Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes, e fazei-vos um coração novo e um espírito novo; pois, por que razão morreríeis, ó casa de Israel?" Ezequiel 18:31;

 

"E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne." Ezequiel 36:26

 

Jesus guardou os mandamentos e a lei de Deus: Como judeu, ele foi circuncidado, ele peregrinou à Jerusalém, ele honrou pai e mãe, ele amou o próximo, ele celebrou a páscoa, ele guardou o sábado, mas a tradição judaica tinha acrescentado tantas restrições para evitar a violação da lei que o sábado quase se tornou um fardo, perdendo totalmente o seu propósito. O que Jesus fez foi afrouxar aquilo que o homem apertou, ele não trabalhou em um sábado, ele curou com o poder da Palavra.

 


6 - Erros de tradução


A) Nascido de uma virgem: A palavra que foi traduzida para "virgem", no hebraico original na realidade significa "alma" também usada para se referir a "moça jovem".

 

Não há erro nenhum aqui, se pensarmos só um pouquinho... O sexo antes do casamento era, e é pecado, além disso era mal visto pela sociedade naquele período, e nada comum, por esta razão ao pensarmos em uma moça solteira, daquela época, logicamente se pensa em uma moça virgem. O Novo Testamento complementa ainda mais está ideia para que não haja dúvida, em Lucas 1:27, 34 dizendo: "A uma virgem desposada com um homem, cujo nome era José, da casa de Davi; e o nome da virgem era Maria."; "E disse Maria ao anjo: Como se fará isto, visto que não conheço homem algum?"

 

B) Crucificação: A palavra que foi traduzida para "perfuraram", no original "keari" seria melhor traduzida para "como um leão".

 

Neste caso o erro é legítimo, mas não anula todas as referencias encontradas no antigo testamento que indicam os sofrimentos do messias. O próprio Salmos 22 é um deles e isso é inegável.

 

C) Servo do Sofrimento: Para alguns judeus Isaías 53 não fala sobre o messias, mas sim sobre o exílio e a redenção do povo judeu, dando continuidade a Isaías 52. Estranhamente Isaías 52 se refere a "vós" (plural), enquanto Isaías 53 se refere a "ele" (singular).

 

 

7 - O nome "Jesus"


Yehoshua Hamashia é o seu nome no hebraico, formada por quatro letras – ישוע (Yod, Shin, Vav e Ayin) - que significa “salvar”. Yeshua (no aramaico) foi transliterado para o Iesua (no grego) que depois virou Jesus (no latim), forma mais conhecida nos dias de hoje. A consoante "J" não existe no idioma hebraico e só veio a existir como letra em alfabetos a partir do século XVII e há um grande preconceito entre alguns judeus, quanto a se traduzir os nomes das pessoas. Além disso, muitos judeus acreditam que o Jesus do cristianismo é um falso “Yeshua”, pois eles observam suas imagens e tradições pagãs, o Jesus que a religião criou.

 

 

8 - O judaísmo baseia-se na revelação nacional e não em milagres


Segundo alguns judeus, se Deus "quer criar uma religião", faz sentido que ele se dirija a todo o povo, e não apenas a uma pessoa; Além disso, o judaísmo não seriam "milagres", mas sim uma experiência pessoal de cada homem, mulher e criança.

 

Na realidade os textos sagrados não mostram em momento algum Deus tentando criar uma "religião", mas sim, Deus tentando redirecionar o homem para Ele, restabelecer a comunhão e o relacionamento pessoal que Ele tinha conosco, antes da queda. O chamado pessoal de diversos homens, como: Noé, Abraão, Isaque, Jacó, José, Moisés, Samuel, Davi, Maria, Paulo... Nos mostra exatamente isso.

 

As leis e os mandamentos eram para os indivíduos tementes ao Senhor, que em consequência fariam a nação temer ao Senhor, e esta nação consequentemente deveria fazer o mundo temer ao Senhor, o que não aconteceu. Além disso, se a revelação fosse nacional, não seria pessoal. Por esta mesma razão as Escrituras dizem que "cada um dará conta de si" (Ezequiel 18:20; Romanos 14:12).

 

Milagres são atos de Deus em favor dos Seus pela FÉ, GRAÇA ou MISERICÓRDIA. A base é a fé, não o milagre, mas negar os milagres é negar as Escrituras e as diversas provas de amor que Deus já deu ao seu povo através de milagres, como o próprio êxodo.


 

9 - Judeus e Não-Judeus 


O Judaísmo não exige que todos se convertam à religião judaica. Maimônides (filósofo judaico) explica que qualquer ser humano que fielmente observa estas leis morais básicas, ganha seu próprio lugar no céu. Mais uma vez podemos ver como os textos da Tanach são contrários aos textos dos pensadores judaicos, pois a Tanach diz que o caminho para a salvação é a fé.

 

"E creu ele [Abraão] no Senhor, e imputou-lhe isto por justiça." Gênesis 15:6

 

"Assim como Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Sabei, pois, que os que são da fé são filhos de Abraão." Gálatas 3:6,7

 

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie;" Efésios 2:8,9

 

A fé nos leva a guardar os mandamentos de Deus e não o posto. Se não cremos em Deus, não cremos na Sua justiça, não obedecemos ao Pai, mas se cremos, então obedecemos. A lei foi dada ao povo hebreu para fazer separação entre o demais povos, como uma forma de santificação à Yahweh, para a preservação do povo, e para mostrar ao homem que ele necessitava de Deus, pois sozinho não seria capaz de cumprir fielmente nem mesmo as leis morais básicas, que dirá toda a lei divina.

 

"Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos." Tiago 2:10

 

 

 

O FALSO MESSIAS
 

Diversos rabinos judeus já tem se levantado alertando a população de que a vinda desse messias é iminente e convocando todos os judeus a voltarem para sua terra (para já cumprirem a profecia nº 3), sem falar dos esforços para a reconstrução do terceiro Templo que já estão a todo vapor. O falso messias será levado ao trono, assumirá o posto de líder, fará acordos, prodígios e sinais, e aparentemente trará a paz e devolverá o "culto" ao povo de Israel, mas após algum tempo se revelará verdadeiramente, e tempos extremamente difíceis virão (Daniel 11:21-45).

 

"Porque eu vos digo que desde agora me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor." Mateus 23:39

 

"Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!" Mateus 23:37

 

Que o Senhor possa abrir nossos olhos e nos reconduzir a Ele enquanto há tempo! Fique com esse lindo testemunho de um judeu descobrindo que Jesus é o seu Messias.

 

 

Fontes:

www.netjudaica.com.br

www.chabad.org.br

http://judaismoeliberdade.blogspot.com.br/2008/08/o-messias-judeu.html

http://solascriptura-tt.org/EscatologiaEDispensacoes/SetentaSemanasDaniel-IReis.htm

 

Please reload

ESTUDOS RECENTES

April 21, 2020

March 14, 2019

Please reload

DESTAQUES