© 2019

  • YouTube
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco

Sobre nós

No que cremos

Somos evangélicos, ou protestantes, ou o povo da cruz, ou o povo da Bíblia, mas acima de tudo, somos cristãos. O blog "A Luz do Evangelho" nasceu...

1. Deus: Cremos em um só Deus, que se manifesta em três pessoas igualmente divinas: Pai, Filho e Espírito Santo...

Nas redes

ATOS PROFÉTICOS

24.04.2015

Muitas igrejas "evangélicas" têm adicionado nas suas reuniões, algumas liturgias controversas, como os chamados atos proféticos. Você reconhece um ato profético? É bíblico? Deus age nos dias de hoje através desses atos? Se sua igreja pratica esses atos, se junte a nós para nos aprofundarmos na Bíblia a esse respeito. Se você conhece alguém envolvido, convide-o a ler este estudo e que Deus abençoe a sua leitura.

 

 

Existem atos proféticos na Bíblia?

 

Sim. Os atos proféticos relatados nas Escrituras Sagrada, sempre buscavam chamar a atenção do povo para o momento em que viviam e serviam para representar aquilo que estava por vir. O ato profético era literalmente o ato de um profeta que simbolizava uma ação ou um aviso de Deus sobre algo que deveria acontecer, o repúdio de Deus contra determinada postura de Israel, para que houvesse arrependimento.

 

Um exemplo de ato profético bíblico é o casamento de Oséias com Gomer, a mandado de Deus (Oséias 1:2), onde a prostituta Gomer simbolizava Israel e Oséias representava Deus e até mesmo os nomes dos filhos de Oséias e Gomer também representavam mensagens de Deus ao povo (Oséias 1:3-9). Outro exemplo pode ser visto em Ezequiel 4, e em outros diversos textos.

O importante sobre os atos proféticos bíblicos é que eles vinham DE DEUS PARA O PROFETA, E DO PROFETA PARA O POVO. O profeta fazia, não o povo. O profeta não mandava Israel fazer nada, ele fazia para ilustrar ao povo determinado ato revelado de Deus para aquele profeta, afim de que o povo enxergasse seus maus caminhos. Sempre vemos Deus dizendo aos profetas: "faça TU conforme Eu ordenar".

 

 

Deus ainda fala através de atos proféticos?

 

Hebreus 1:1-2 responde: “HAVENDO Deus, antigamente, falado muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos, nestes últimos dias, pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo.

 

 

O sincretismo religioso por tráz dos atos proféticos contemporâneos

 

O sincretismo religioso é a mistura de uma ou mais crenças religiosas em uma única doutrina. Esse sincretismo nasce a partir do contato direto ou indireto entre crendices e costumes religiosos distintos que se misturam, formando uma nova doutrina.

 

Deus condena duramente o sincretismo, e exatamente para poupar o povo deste grande mal é que Ele ordenou: "Porém, das cidades destas nações, que o Senhor teu Deus te dá em herança, nenhuma coisa que tem fôlego deixarás com vida. Antes destruí-las-ás totalmente: aos heteus, e aos amorreus, e aos cananeus, e aos perizeus, e aos heveus, e aos jebuseus, como te ordenou o Senhor teu Deus. Para que não vos ensinem a fazer conforme a todas as suas abominações, que fizeram a seus deuses, e pequeis contra o Senhor vosso Deus." Deuteronômio 20:16-18

 

No Brasil, o sincretismo religioso nasce desde a chegada dos primeiros colonizadores portugueses e as caravanas católicas romanas, se intensificando com a presença dos escravos africanos, que em contato com a população nativa do Brasil (os indígenas), disseminou os seus costumes, rituais e tradições, de maneira a mesclar suas religiosidades. A prova mais evidente desse sincretismo é o culto dos chamados santos católicos, que também passaram a ser cultuados pelos africanos, porém com nomes diferentes.

 

Hoje temos um país sincrético, que na vedade não sabe bem onde uma religião começa e a outra termina, tudo virou um grande caldeirão religioso, que mistura as religiões indígenas, o catolicismo romano, as religiões africanas e agora o protestantismo também entrou nessa "moda" através, principalmente, do neopentecostalismo. O uso do copo d’água, das sessões de descarrego, sal, unção e consagração de objetos, entre tantas outras coisas, são oriundas principalmente do espiritismo, mas hoje são comumente vistos em rituais neopentecostais.

 

 

O distanciamento bíblico ou apostasia das igrejas

 

Alguns atos proféticos ou como eles costumam chamar "atos do espírito" são muito parecidos com sessões espíritas, e isso não é mera coincidência, na verdade é o sincretismo religioso entrando na igreja de Cristo. Você já deve ter escutado pessoas dizendo: "Fui em uma igreja pentecostal e fiquei assustada, parecia que eu estava num terreiro de macumba, com pessoas rodopiando, pulando, falando estranho... Pareciam possessas."

 

Quando abrimos as portas para aquilo que Deus condena, estamos na verdade indo no caminho oposto ao que Ele nos orienta, estamos nos distaciando Dele, negando a fé. Se Deus condena algo e mesmo assim praticamos, estamos pecando contra o Senhor. Não há meio termo. A igreja foi chamada para ser luz em meio as trevas, mas se a luz se apaga o que será visto? Se a igreja se mistura e se contamina com aquilo que não deve, deixa de ser luz, perde o seu propósito.

 

É fato que Deus dá dons a Igreja e que estes precisam ser manifestos, mas Deus não é Deus de confusão, mas sim de ordem e a Bíblia nos orienta a usar os dons com ordem (1 Coríntios 14) e não a bagunça que estamos acostumados a ver nessas "igrejas".

 

 

Vejamos alguns dos mais "famosos" atos proféticos já realizados:

 

1) Ana Paula Valadão e a "unção do leão":

 

2) Ana Paula Valadão e a "transferência de gerações":

 

3) Agenor Duque e a "unção de José (Manassés e Efraim)":

 

4) Igreja Universal e o "tratamento da água":

 

As "defesas" desses atos são SEMPRE textos fora de contexto, distorcidos para se adequarem a mensagem que se quer passar, exatamente como Satanás fez com Eva no Jardim do Éden, distorcendo o que Deus havia dito para induzi-la ao erro.

 

Todo ato, objeto ou homem, a quem se da um poder ou autoridade que só pertence a Jesus Cristo e/ou ao Espírito Santo é errado a luz da Bíblia.

O uso dos símbolos para afastar maus espíritos, dar sorte, lavar a alma, derrubar o “inimigo”, abrir portas; o uso de numerologia (7 semanas da campanha da felicidade, 3 mergulhos nas água do Jordão, dia 12/12/2012...); a barganha dos dízimos, ofertas, sementinhas, etc. (oferte R$ 100,00 para adiquirir a rosa ungida da prosperidade...), Tudo isso é misticismo e está roubando o lugar que pertence somente a Deus! "Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." Gálatas 1:9

 

 

A psicologia por trás dos atos

 

Muitas religiões, tal como os defensores de atos proféticos, acreditam que através de seus esforços, podem afetar o mundo espiritual e mudar a sua sorte. Os próprios atos relatados no antigo testamento mostram que os atos proféticos não eram para conseguir bênçãos de Deus e muito menos partiam do homem para Deus, mas sim de Deus para o homem.
 

O uso de jogo de luz, fechar os olhos e ouvir batidas, palavras que nos remetam ao nosso passado, colocar fogo em nossos pecados, são ferramentas que mexem com nosso psique, não tem nada de espiritual nessas ações. Você pode chorar, se sentir melhor, mais leve, mas sem dúvida, é temporário. Enquanto seu encontro não for com Jesus, esses "atos proféticos", "encontros com Deus" e outros imersivos feito pelas igrejas hoje, só vão mexer com seu lado psicológico.

Se não levar você a um arrependimento verdadeiro, a um encontro com o Espírito Santo, a uma mudança de vida, são só atos de homens com fins lucrativos.

 

1 João 4:1 diz: “Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.

 

 

Conclusão

 

Vamos pensar! Quantos atos proféticos nós podemos encontrar no novo testamento?

 

Jesus rasgou o véu, tudo se fez novo. Pelo sacrifício de Cristo na cruz temos acesso direto ao Pai, recebemos o Consolador, e este habita em nós. O que mais nós precisamos?

 

O cristão "convencido" sobre o Evangelho, não crê que Deus seja suficiente e acaba por tirar do Espírito Santo a posição e autoridade que lhe é devida. Crêem mais no óleo, ná água, e etc. (símbolo do Espírito Santo na velha aliança) do que no próprio Espírito Santo, já derramado sobre a igreja na nova aliança.

 

Por que não vemos os apóstolos de Jesus fazendo ato proféticos durante seus ministérios? Paulo proclamou algum ato profético para as igrejas? NÃO! A doutrina de Jesus Cristo nos manda anunciar o Evangelho, amar, perdoar, repartir, ser generoso, ajudar ao próximo, honrar, não ser maldizente, não ser avarento, amar ao Senhor Deus sobre todas as coisas, novas vestes, nova vida. A nova aliança age de dentro para fora e não o oposto.

 

A Bíblia diz claramente que não devemos copiar o modo como os ímpios cultuam seus deuses para assim cultuar o único e verdadeiro Deus: “Guarda-te, que não te enlaces seguindo-as, depois que forem destruídas diante de ti; e que não perguntes acerca dos seus deuses, dizendo: Assim como serviram estas nações os seus deuses, do mesmo modo também farei eu. Assim não farás ao Senhor teu Deus; porque tudo o que é abominável ao Senhor, e que ele odeia, fizeram eles a seus deuses; pois até seus filhos e suas filhas queimaram no fogo aos seus deuses. Tudo o que eu te ordeno, observarás para fazer; nada lhe acrescentarás nem diminuirás.” Deuteronômio 12:30-32

 

Graça e paz!

Please reload

ESTUDOS RECENTES

March 14, 2019

July 3, 2018

Please reload

DESTAQUES

A "IGREJA" MODERNA E SEU FALSO "EVANGELHO"

21.09.2017

1/10
Please reload

CATEGORIAS
Please reload

ARQUIVOS
Please reload

INSCREVA-SE